The Next Generation, comunicator

Lembro a primeira vez que assisti StarTrek, tinha na época 5 anos e estava em um hotel em São Paulo. Episódio “The Enemy Within” me lembro por causa do “Cachorro esquisito”. Sempre fui fascinado pelas inovações tecnológicas da serie  bem como  sua futura influencia sobre as tecnologias, atuais e futuras, uma de suas heranças futuras foi a ideia da comunicação móvel de longa distancia que inspirou a criação de  celular com  Flip, 30 anos antes!

Como os celulares com “flip” na época da postagem eram raros, e o avanço da tecnologia Bluetooth junta com  a ideia de comunicadores no emblema  no uniforme de “The Next Generation” era melhor. Como a realidade se inspira na ficção, resolvi criar o meu próprio comunicador inspirado em TNG, usando um fone Bluetooth modificado.

A ideia não era nova mas  faltou coragem de adaptar (na época) um equipamento tão caro, porem acabei herdando um fone Bt que tinha problema no alto-falante, então resolvi criar meu comunicador.

Removi o suporte do alto-falante do BT, e substitui por um headphone com um cabo de 50 cm, testei e funcionou dentro da normalidade

O próximo passo foi adaptar um ímã sobre o botão para acionamento por pressão. Usei um ímã de um drive de CD/dvd que assim como os de HD são de terras raras , só que pequenos e retangulares,  eles estão na unidade ótica, próximos ao laser.

A parte que deve dar mais trabalho é o Emblema, se quiser importar é uma opção mais bonita mas precisa adaptar. 


O meu foi criado com uma chapa de alumínio ( fácil de achar em lojas de material de construção) cortada e dobrada levemente nos cantos para dar volume, resistência e ocultar a arruela de ferro.


Dentro colada uma arruela de ferro para poder ser atraída pelo ímã,

Conecte seu fone o celular e coloque-o por baixo da camisa e prenda o comunicador sobre o ímã.

Coloque o som do comunicador original como campainha, ou procure o seu em  http://www.trekcore.com/audio/ e a tenda com um toque no peito, só não fique esperando o teletransporte, ele deve demorar um pouco para ser criado

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *